Acessibilidade

Sexta-feira 13: Você já ouviu falar do Fantasma de Botujuru?

13 Mar 2020

"Em noites de muita neblina, o vulto de um homem é visto flutuando sobre o leito da ferrovia, e também parado na entrada do túnel como se estivesse vigiando o local."

Lendas urbanas são motivos de arrepios e também assunto de conversas para diversas pessoas, inclusive aqui em Campo Limpo Paulista. Nesta sexta-feira 13, apresentamos um dos contos populares que envolvem a região, conheça "O Fantasma de Botujuru".

Campo Limpo Paulista cresceu às margens das ferrovias nacionais estando próxima à Jundiaí. Por volta de 1890, a construção do túnel de Botujuru era chefiada pelo então engenheiro chefe inglês Henry J. Beeck, empregado da São Paulo Railway. Ele era visto com um funcionário exigente e de rígidas medidas disciplinares, gerando raiva e repulsa dos funcionários.

Uma das versões da história afirma que no dia 23 de abril de 1898, os trabalhadores realizaram uma emboscada próximo ao túnel e teriam assassinado o engenheiro a sangue frio, enterrando o corpo na mata. Em outras versões, o corpo nunca foi encontrado e há ainda que ele foi sepultado ao lado da linha férrea, onde hoje existe uma uma lápide com seu nome (conforme a foto do post), causando assim a lenda da assombração. 

Muito desgastada pelo tempo e com inscrições apagadas, é visível os dizeres "In Memorian - Henry J. Beeg - Assassinated April 23, 1898". É possível ver também na entrada do túnel, um local para serem colocadas velas, uma tradição dos moradores locais.

Na mídia - Segundo uma notícia veiculada no jornal Estado de São Paulo na época, a investigação policial constatou que antes do assassinato, Beeg (ou Beeck) havia demitido o carpinteiro italiano Antonio Madaloni e cancelado o contrato da empresa locada para a ferrovia sem qualquer ressarcimento. Ele foi considerado o principal suspeito da morte por conta de possuir a espingarda encontrada próximo ao morto.

Outro fato que coincide com a lenda é o assassinato do engenheiro em seu escritório, próximo ao túnel, com um tiro no tórax e outro na cabeça na noite de 23 de abril de 1898.


Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário