Defesa Civíl

Desde o começo do ano, Defesa Civil combate mais de 150 focos de incêndio

Data da publicação: 20/08/2021 12:16:06

Imagem: Atear fogo é crime e a pena é de um a três anos de reclusão

Do primeiro dia do ano até esta sexta-feira, 20, passaram-se 231 dias. Desses 231, a Defesa Civil de Campo Limpo Paulista combateu 151 focos de incêndio, é como se passasse livre apenas dois dias por semana, sem nenhuma ocorrência de incêndio. E quem sofre com isso, são os animais que vivem na vegetação e também a própria população, devido ao malefício que causa na saúde.

Na última quarta-feira, 18, dois novos incêndios foram registrados no município. Pela manhã a ocorrência foi no bairro Estância São Paulo, onde o fogo atingiu quatro mil metros de extensão. Já à noite a equipe se deslocou até o Parque Loja da China, que devido à escuridão, a extensão apagada não teve como ser calculada. Ao todo, a Defesa Civil do município atendeu 23 ocorrências nos últimos 15 dias, sendo a maioria incêndios criminais.

Legislação

Queimar lixo, ainda que em propriedades particulares, é crime. A Lei nº 9.605 descrita no artigo 54 diz que: a queimada urbana é como crime de poluição, que coloca em risco a saúde da população, a segurança de animais e a flora. Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoque a morte de animais ou a destruição significativa da flora, pode gerar reclusão, de um a quatro anos, e multa. Caso o crime seja culposo (sem intenção), a detenção é de seis meses a um ano, e multa. O mesmo vale para o caso de provocar incêndio em mata ou floresta.

O gestor do Meio Ambiente, Neive Noguero, ressalta a importância de não atear fogos. “Atear fogo além de ser crime ambiental, necessidade de grande quantidade de água para combater o incêndio. Estamos vivendo a seca mais precária dos últimos 90 anos, portanto, o uso consciente de água nesse momento, será melhor para todos”, alerta o gestor.

Autor: Departamento de Comunicação