Acessibilidade

Campo Limpo Paulista abraça campanha de valorização da vida 'Setembro Amarelo'

23 Set 2020

Setembro é o mês de prevenção ao suicídio e de atenção à saúde mental conhecido como 'Setembro Amarelo'. De acordo com a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), por ano, mais de 800 mil pessoas cometem suicídio em todo o mundo. Em 2016, foi levantado dados no Brasil que revelaram: a cada 100 mil habitantes, 6,1 cometem suicídio, dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Aos olhos de Maria Paes, psicóloga e coordenadora do Centro de Atendimento Psicossocial de Campo Limpo Paulista (CAPS), falar sobre o setembro amarelo é mais que importante. "Para se ter uma noção, a procura por atendimento psicológico aumentou em 150% com a Pandemia. No ano passado tínhamos uma procura de 25 novas pessoas por mês, em 2020, isso triplicou", informa Maria.

Com isso, a rede pública de atendimento Social e de Saúde tem se atentado cada dia mais para as questões da mente, inclusive em crianças, adolescentes e idosos. "Em todos meus anos de servidora pública na área de Assistência Social, já acompanhei diversos casos sobre tentativa de suicídio e mesmo de doenças psicológicas, tanto em adultos quanto em crianças, adolescentes e idosos. Nos últimos anos encontramos um aumento significativo na procura por psicólogos e psiquiatras, por meio das entradas sociais como os Centros de Referência em Assistência Social (CRAS)?, conta a Assistente Social e Coordenadora do CRAS São José, em Campo Limpo Paulista, Maria do Carmo.

A psicóloga Thatiane Almeida (@thatianealmeidapsicologa), moradora de Campo Limpo Paulista, orienta como perceber que alguém próximo pode precisar de ajuda. "É importante saber que o comportamento suicida vai além de apenas tentar tirar a própria vida. Isso significa que o comportamento engloba as ideações suicidas, os planos e, claro, o próprio ato. Agora, pensando nos comportamentos de quem provavelmente está pensando em se suicidar, nós podemos identificar falas mais implícitas como, 'gostaria de dormir e não acordar mais' ou mais explícitas do tipo 'eu quero morrer', 'não tenho motivos pra continuar vivo', 'a minha existência não faz mais sentido', entre outras", frisa Thatiane.

Ela ainda faz uma observação pertinente. "O único caminho, tanto pra evitar, quanto pra identificar os possíveis casos, é a conversa. É curioso saber que para o achismo popular o ato de falar sobre as ideações suicidas pode incentivá-las. Entretanto, isso acontece justamente de modo contrário, porque quando a pessoa passa a falar sobre suas angústias, ela tem seus níveis de sofrimento diminuídos, o que pode afastar as possibilidades de tentativas de suicídio", salienta. 

Para procurar ajuda, a psicóloga Thatiane reforça a importância de um psicólogo e terapia no acompanhamento das doenças da mente. "A rede pública tem diversos equipamentos como os CAPS (Centro de Atenção Psicossocial), as Unidades Básicas de Saúde, o hospital, além é claro das clínicas-escola das faculdades e os profissionais particulares. Outra opção de ação é indicar o CVV (Centro de Valorização da Vida), que é um centro especializado na escuta de pessoas que estejam com ideação suicida", finaliza Almeida.   

Para quem ligar em Campo Limpo Paulista:

- CVV (Centro de Valorização da Vida)
Fone: 188
Site: www.cvv.org.br

- CAPS (Centro de Atendimento Psicossocial)
Fone: (11) 4812-6655

- Centros de Referência em Assistência Social (CRAS)
Botujuru: (11) 4038 - 5338
São José: (11) 4812-6764
Centro: (11) 4038-5051

- Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS)
fone:
(11) 4812-6886

Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário