Acessibilidade

Campo Limpo Paulista recebe 2600 testes rápidos para diagnóstico do COVID-19

09 Abr 2020

Pacientes com sintomas do COVID-19 serão submetidos aos Testes Rápidos a partir da semana que vem. Os 2600 testes foram comprados após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) autorizar o uso dos materiais para diagnóstico laboratorial (in vitro) do Coronavírus em território nacional com publicação no Diário Oficial da União, em 18 de março.

A medida faz parte das ações estratégicas para obter em até 20 minutos o diagnóstico dos casos suspeitos e assim orientar os pacientes e seus familiares aos devidos procedimentos.

Inicialmente, os testes aplicados com a coleta de sangue serão realizados nos funcionários da saúde que apresentam os sintomas do COVID-19, posteriormente nos pacientes internados. "Estamos seguindo a orientação do Ministério da Saúde, portanto serão submetidos aos testes somente os casos que necessitarem de internação" - explica o Secretário de Saúde, Dr. Sebastião Batista.

Há dois tipos de testes rápidos aprovados pela ANVISA. "O que foi adquirido por Campo Limpo Paulista é ótimo do ponto de vista epidemiológico porque mostra os anticorpos da doença através dos resultados no IgG e IgM." - explicou a prefeito, Dr Japim Andrade.


Porquê os testes rápidos IgG e IgM são importantes para inibir a pandemia?

Porque os resultados obtidos através das coletas de exames apresentam um cenário mais estratégico por apontarem os anticorpos da doença, que são o IgG e o IgM.

Qual a diferença do IgG e IgM?

O IgM é um anticorpo da doença aguda, ou seja recém contraída e o IgG faz parte da memória imunológica, ou seja, aquele que contraiu a doença e se imunizou. 

IgG e IgM negativos: a pessoa é um alvo para pegar a doença e precisa se resguardar.

IgM positivo: a pessoa está com a doença aguda, a quarentena é essencial. Muitos com esse anticorpo são assintomáticos e estão transmitindo. Essa pessoa deve ser isolada por 14 dias e depois repetir o teste.

IgG positivo: se entrar em contato com o vírus, não pega a doença e o plasma do IgG pode ser usado para o tratamento das pessoas com doenças graves, nas UTI´s.e entrar em contato com o vírus, não pega a doença e o plasma do IgG pode ser usado para o tratamento das pessoas com doenças graves, nas UTI´s.

Obs: 

Importante qualificar que esse exame não detecta o vírus, o que detecta é o PCR (Reação em Cadeia Polimerase), no entanto ele amplia o cenário epidemiológico apontando as pessoas com risco de contrair ou não a doença, pela deficiência do anticorpo.

Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário