Dia D contra Sarampo e Pólio movimenta postos de saúde

18 Ago 2018

O segundo  Dia D da 'Campanha Nacional de Vacinação Contra Sarampo e Poliomielite' foi realizado neste sábado (18), com movimento intenso nos postos de saúde do município. A cobertura  vacinal na cidade já ultrapassou 55% do público-alvo. A campanha prossegue até o dia 31 de agosto e as doses serão aplicadas nas Unidades Básicas de Saúde (exceto Jardim Europa e Vila Marieta) até o dia 31 de agosto, sempre das 7h30 às 12h e das 13h às 15h30. 

A moradora do Jardim Corcovado, Edineia de Sousa Cierjacks de Oliveira levou a filha de três anos, para a imunização. "A carteirinha dela está em dia. Procuro sempre olhar para ver se não está faltando nada. A vacinação é extremamente importante." Assim como ela, Bruna Toledo Zorzi levou a filha de quatro anos ao posto de saúde. "Doenças que já estavam erradicadas estão voltando. Os pais precisam comparecer ao Dia D e demais campanhas", comentou.

A ação nas Unidades Básicas contou com apoio da Unifaccamp, com os estagiários de enfermagem. Além disso, o Rotary Club de Campo Limpo Paulista, que luta pela erradicação das doenças, esteve nos postos distribuindo bexigas e pirulitos para as crianças.  

De acordo com a Secretaria de Saúde de Campo Limpo Paulista, a meta é vacinar até o final da Campanha, 4.261 crianças de 1 a 4 anos, 11 meses e 29 dias.

Com relação ao sarampo, a orientação do Ministério da Saúde é para que todas as crianças, adolescentes e adultos até 29 anos recebam duas doses previstas para a imunização. Adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose. É importante frisar que, neste caso, não trata-se de campanha. Essa vacina para esse público está disponível nas Unidades Básicas como vacina de rotina.  Por isso, a orientação é consultar as carteiras de vacinação e comparecer ao posto de saúde mais próximo para a atualização, caso necessário.

MAIS - O sarampo é uma doença que pode levar à morte. Os sintomas são tosse, febre, irritação ocular, corrimento no nariz, manchas vermelhas na pele, pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia e convulsões. A transmissão é pelo ar, por meio de tosse, espirro, fala ou respiração e a única forma de prevenção é a vacina.

Já a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é provocada por um vírus que afeta o sistema nervoso, que pode levar à paralisia irreversível dos membros. Por isso, a orientação é que os pais não deixem de vacinar as crianças. 



Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário