Acessibilidade

Frente de Trabalho muda vidas em Campo Limpo Paulista

20 Dez 2018

O ano foi de muita luta e conquista para Cleiton Rodrigues da Silva, colaborador do programa Frente de Trabalho da Prefeitura de Campo Limpo Paulista. O morador do Botujuru vivia há 20 anos nas drogas e com a oportunidade de reinserção no mercado de trabalho está há sete meses limpo de qualquer substância.

Para Cleiton, o programa Frente de Trabalho abriu possibilidades ao futuro. "Minha família estava desestruturada e agora é diferente. Depois que eu comecei a me esforçar no trabalho e abandonar as drogas, minha casa está reformada e com móveis novos", disse o trabalhador.

Ele ainda contou. "Eu estava para perder meu filho para o conselho tutelar, mas agora ele me olha com orgulho. Meu outro filho que mora com minha irmã também pode retornar para ficar comigo", disse Cleiton com um largo sorriso.

O colaborador de 1,75 m chegou a pesar 58 kg e, hoje, está com 87 kg. "Agora eu me sinto bem novamente. Já cheguei a me alimentar de lixo e tenho orgulho de estar onde estou. Até faço bicos de pedreiro para complementar a renda lá de casa", finalizou.

O sonho de Cleiton agora é ingressar na carreira pública. "Quero fazer o bem para minha cidade e pretendo usar tudo o que aprendi até aqui para ensinar outras pessoas sobre os riscos das drogas", finalizou Rodrigues.

MAIS - A Frente de Trabalho recebeu neste ano mais de 80 beneficiários em rotatividade, que foram divididos nas funções de trabalho nas ruas com manutenção e limpezas de praças e vias públicas, em setores de atendimento ou de limpeza dos equipamentos públicos. Como diferencial, durante 2018, os colaboradores também puderam contar com capacitações, cursos de informática, jardinagem, além de encontros regulares nos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) para conversação sobre ética e cidadania. 

Como resultado do programa Frente de Trabalho, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social (SADS) foi nomeada entre as quatro melhores cidades do Sudeste no prêmio 'Progredir', do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), com o projeto Movimento Atitude. O trabalho ganhou destaque por atender a proposta do Governo Federal, que é trabalhar com as ideias de inclusão produtiva no Brasil.

O Movimento Atitude foi criado com foco em quem não conseguia recolocação no mercado de trabalho. Os beneficiário da Frente de Trabalho têm compromisso de dedicar oito horas semanais para um curso profissionalizante disponibilizado pelo município. Após passar um ano programa, ele é encaminhado ao Programa de Atendimento ao Trabalhador (PAT) ou ao Banco do Povo, no qual poderá abrir uma microempresa e ainda requerer financiamento para desenvolver empreendimento, acompanhado pelo SEBRAE, na SADS.

 Para 2019, a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social planeja manter o programa com novas vagas a partir de fevereiro.



 

Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário