'Projeto Horta' planta um novo horizonte na vida de pacientes do CAPS

05 Jul 2018

As manhãs de terça e quinta-feira são sempre especiais para Ernestino Paolo dos Santos, de 51 anos. Ele é paciente do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Campo Limpo Paulista e é apaixonado pelo 'Projeto Horta', desenvolvido no Viveiro Municipal, em uma parceria entre a Secretaria de Saúde e Secretaria de Obras, por meio do Departamento de Meio Ambiente.  

Ernestino conta que fica ansioso para chegar e cuidar das mudas e da horta no Viveiro. Além disso, ele também é o responsável pela horta do CAPS. Mexer com a terra e cuidar das plantas, segundo ele, faz toda a diferença no tratamento e no cotidiano. "Sou outra pessoa depois que passei a fazer isso. Essa atividade me traz paz. Eu era instável e muito nervoso e deixei as crises para trás, além do problema com alcoolismo", comenta ele, sem esconder o sorriso no rosto.

Assim como ele, Augusto Roberto Domiciano, de 26 anos, destaca a importância das atividades do CAPS. "Deixei de pensar em coisas negativas, me sinto 99% melhor", diz ele, que além de participar das oficinas do Centro de Atenção Psicossocial, atualmente também atua na recepção do espaço.

E é exatamente esse o objetivo buscado pela Secretaria de Saúde com o 'Projeto Horta' e demais oficinas oferecidas no CAPS, gratuitamente, aos pacientes. Todos os itens plantados na horta depois são colhidos por eles e usados nas oficinas 'Masterchef', na qual os pacientes aprendem culinária. "É uma maneira de integração com a natureza e também um grande aprendizado sobre o alimento que consomem", destaca a diretora de atenção psicossocial, Ana Cecília de Assis.

De acordo com ela, a melhora em diversos casos é evidente após o ingresso nas atividades. "É um ponto de equilíbrio na vida deles. Muitos, felizmente, deixaram de ter crises." No CAPS também são oferecidas oficinas de beleza, cinema, música, relaxamento, costura, entre outras.

MAIS  -  O prefeito, Dr. Japim Andrade, acompanhou a oficina, na manhã desta quinta-feira (5), e falou da importância do trabalho. ?É uma atividade que melhora a autoestima, faz com que eles sintam-se valorizados e vejam o resultado do trabalho que estão fazendo. Ver esse projeto crescendo e dando certo é gratificante."

De acordo com a bióloga do departamento de Meio Ambiente, Maria Karolina Silva Tamberlini, os pacientes do CAPS começam o processo do plantio do zero, até a colheita. Além da horta, fazem a manutenção das mudas de árvores nativas e de reflorestamento.

O coordenador do Viveiro, Marcio dos Santos, destaca a importância da presença desses pacientes no Viveiro. "Eles se dedicam muito. É bonito de ver", comenta, agradecendo ainda o empenho dos funcionários do local. A visita desta quinta-feira também foi acompanhada pela coordenadora do CAPS Patrícia Colona Cruz. 


          

Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário