Saúde presta contas do primeiro quadrimestre

31 Mai 2017

 Secretaria de Saúde realizou nesta quarta-feira (31), na Câmara Municipal, audiência pública de prestação de contas do primeiro quadrimestre de 2017. O secretário da pasta, Luis Tofani, destacou que o início do ano foi complicado para o setor, que herdou da gestão anterior R$ 11.144.710,10 em dívidas. Até o momento, foram quitados R$ 2.502.087,91.

Segundo o secretário, os grandes desafios dos primeiros quatro meses do ano foram retomar atividades que estavam suspensas, renegociar dívidas e fazer um planejamento adequado da Secretaria. ?Encontramos serviços paralisados, sem contrato e um desabastecimento de insumos e medicamentos.?

Entre os dados apresentados, estão os da Atenção Básica, cujo número de atendimentos chegou a 18.092 no primeiro quadrimestre. Na odontologia, foram 3145, entre atendimentos e procedimentos. O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) fez 3.307 atendimentos de psiquiatria e psicologia. O Hospital de Clínicas (HC) atingiu 40.893 atendimentos de janeiro a abril, contra 32.878 no mesmo último quadrimestre de 2016. Também no HC, foram realizados 375 partos até o final de abril.

Já o 192, serviço de urgência e emergência, fez 2354 atendimentos. Consultas com especialistas foram 5730 no período. O trabalho de diagnostico e terapia, que inclui radiologia, exames laboratoriais, ultrassom, fisioterapia, e outros, chegou a 8.600 de janeiro a abril.

No setor de nutrição, foram 97 atendimentos a pacientes de 0 a 14 anos e outros 56 atendimento para pessoas de 14 anos em diante. No transporte intermunicipal de pacientes, o número foi 4965.

No setor de Vigilância em Saúde, várias ações foram desenvolvidas ao longo dos quatro primeiros meses do ano, entre elas Projeto Zika Virus, pesquisa de leishmaniose, campanha de vacinação contra a Influenza e imunização cautelar da Febre Amarela.

Com relação à assistência farmacêutica, a SMS está revisando os medicamentos da listagem padrão do SUS para que ela seja ampliada de 178 itens para 220. Além disso, constituiu uma Comissão de Farmácia e Terapêutica.

O balancete do 1º quadrimestre mostrou que o custeio da Saúde teve como maior verba a municipal, com investimento que ultrapassou R$ 9,3 milhões. De recursos federais, a cidade recebeu R$ 2,8 milhões e estaduais apenas pouco mais de R$ 9 mil. O total de receitas foi de R$12,2 milhões e as despesas liquidadas chegaram a R$ 10,7 milhões, sendo R$ 5,9 milhões em gastos com funcionários, o que inclui o 13º salário não pago em 2016.

A


Assessoria de Imprensa

Departamento de Comunicação de Campo Limpo Paulista

deixe um comentário